Os dados apresentados recentemente pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, sobre o grande e, certamente, melhor momento da viticultura paulista, têm sido destaque na imprensa em todo o País. Veículos nacionais e regionais, além de sites e blogs dedicados ao segmento, têm reportado os números expressivos do setor.

A porta-voz destes relatos à mídia é a presidente da Câmara Setorial de Viticultura, Vinhos e Derivados do estado de São Paulo, Célia Pinotti Carbonari, sócia-proprietária da Vinícola Villa Santa Maria. A vinícola é uma das que contribuem com essa fronteira de forte expansão. A Villa, que fica em São Bento do Sapucaí, próximo a Campos do Jordão, é a produtora dos vinhos Brandina.

 

Para Célia, a viticultura tem, cada vez mais, contribuído para o agronegócio brasileiro.

 

Veículos de destaque e amplitude nacional como Folha de S. Paulo, Estadão e Veja dedicaram espaço ao tema a partir de dados divulgados pela equipe de Comunicação da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

 

 

Veículos regionais, como o Hora Campinas, também noticiaram com destaque esse momento em sua seção de Turismo.

 

 

O assunto também teve espaço em programas multimídia. O Canal do Boi, importante divulgador do agro brasileiro, dedicou ampla reportagem sobre os dados de expansão. Aliás, as reportagens ressaltaram o aumento no número de pés de uva voltados à viticultura, que neste ano de 2023 saltou oito vezes em relação ao ano passado. Foram 7,8 mil unidades plantadas em 2022, contra quase 64 mil em 2023, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Pasta de Agricultura.

Esse aumento das plantações se deve a um conjunto de fatores. Há um crescimento do mercado do turismo ligado às vinícolas, aliado à alta qualidade da uva no Estado de São Paulo propiciada pelo manejo da dupla poda, o que permite colher uvas finas e, consequentemente, fazer vinhos de mais qualidade.

 

Veja abaixo a reportagem do Canal do Boi