Recebemos muitas perguntas sobre a estimativa de colheita e produção na vinícola Villa Santa Maria. Foi iniciado agora no Verão o plantio de cinco variedades na área de expansão da propriedade, em São Bento do Sapucaí, pertinho de Campos do Jordão, quase na divisa com Minas Gerais. São variedades das uvas Syrah, Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Viognier.  A previsão é de colheita daqui a quatro anos. Após dois anos, sem produção, nossa equipe faz o processo de poda invertida para que a planta vá se acostumando. Aí, seguimos com o sistema invertido, sempre no Inverno, o que tem garantido excelente resultado no portfólio Brandina.

Murilo Albuquerque Regina, um dos maiores especialistas em vinicultura do Brasil e nosso orientador no projeto Brandina, realizou recentemente um treinamento com toda a equipe da vinícola Villa Santa Maria. O objetivo foi estabelecer detalhes da poda invertida de Inverno, o sistema que adotamos para cultivo da vinha e da busca de um vinho cada vez melhor.

A produção de vinhos de alta qualidade, incluindo vinhos premiados, se tornou possível depois de anos de pesquisa e investimento. A técnica adotada é da inversão do ciclo da uva, com a prática da dupla poda (ciclo de Inverno). A dupla poda consiste em podar a videira duas vezes, de modo a jogar a colheita para o período que vai de julho a setembro. Como o verão brasileiro é muito chuvoso, com a colheita do fruto nessa época não se chegava a níveis de açúcar, aroma e coloração desejados para nossos vinhos. O Inverno do Sudeste é seco e ensolarado. Dessa forma, quando o ciclo foi invertido, o resultado foi conseguir maturar bem a fruta e fazer vinhos com o nível de qualidade hoje alcançado pelos Vinhos Brandina, de padrão internacional.